quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

“Quem te viu? Quem te vê?” - Virada Cultural da Baixada contra Invisibilidade Territorial.

          A Baixada Fluminense grande região periférica e tida por muitas décadas como área dormitório da cidade do Rio de Janeiro, tem sua formação ligada à migração de contingentes populacionais vindos de todas as partes do Brasil na busca de uma melhor qualidade de vida. Hoje sua geografia é dividida em 12 Municípios (Nova Iguaçu, São João de Meriti,  Duque de Caxias, Nilópolis , Mesquita, Paracambi, Queimados, Japeri, Seropédica, Guapimirim, Magé e Belford Roxo) com cerca de  3.358.023 milhões de habitantes.  Historicamente sempre conviveu sob os estigmas da pobreza, da violência e da ausência de políticas públicas.

        Quando falamos de invisibilidade territorial temos a percepção dos estigmas perpetuados nos seres invisíveis, seja pela indiferença, seja pelo preconceito que nos leva a compreender que tal fenômeno atinge tão somente aqueles que estão à margem da sociedade. Há varias formas de invisibilidade social: econômica, racial, sexual, etária, entre outras. Várias pesquisas apontam que a agressão maior ao morador de rua, na sua ótica, não é pela sua condição econômica, mas sim, sua invisibilidade social, pois ao ser tratado como mais um objeto na paisagem urbana o seu processo de desumanização atinge a sua totalidade. 

          Tradicionalmente a atividade cultural e artística na região tem se caracterizado por ações autônomas, sem quase nenhum apoio técnico e financeiro, por parte das estruturas públicas e/ou privadas sejam ou não da área da Cultura. Nem por isso essas atividades deixaram de existir e quase sempre são protagonizadas e promovidas pela Juventude. Atualmente temos diversas ações desde festivais de teatro e dança de valor regional, estadual e nacional, variedades de eventos afirmativos com viés cultural, eventos e festivais de musicas, cultura hip-hop, rock, reggae, samba, com inúmeros grupos de importância nacional e uma infinidade de mestres e culturas tradicionais em seu territótio. Além disto, a região da Baixada Fluminense conta com o segundo carnaval do Estado do Rio de Janeiro, diverso Pontos de Culturas formados na última década que de forma autônoma existem e persistem na contra mão da falta de políticas, incentivos e financiamentos públicos tanto na esfera municipal como nas esferas estadual e federal.

        È desta forma o território da Baixada Fluminense vem sendo tratado ao longo da sua historia, e por isso, o programa Brasil Próximo baseados nos documentários “Quem se importa” de Mara Mourão (que se tornou um movimento de inspiração para ações transformadoras) e “Nunca fui,  mas me disseram” de alunos do Curso de Produção Cultural da IFRJ do Campus de Nilópolis (sobre o visão que não moradores da região tem sobre ela) lança ação afirmativa intitulada “Quem te viu?  Quem te vê? - Virada Cultural da Baixada.” Esta ação tem como propostas estabelecer uma provocação e possibilitar  reflexões e ações sobre pautas revindicadas historicamente pelos agentes socioculturais da região como: a descentralização tanto administrativa como financeira dos recursos do Estado para região, a construção de aparelhos socioculturais, políticas de desenvolvimento regional em todos as áreas e centros locais  de formação profissional na áreas da Artes e Cultura.

Para nós do Programa Brasil Próximo, além destas pautas, apontamos a necessidade prioritária de efetivação neste território de políticas públicas focadas na e para Juventude encarando-a como agente transformador da sociedade. O Programa tem como eixo o mapeamento de entidades e ações culturais promovidas ou destinadas aos jovens em toda região e vem, percebendo a necessidade de fomentar esta discussão para alem deste território visando toda sociedade fluminense.

Quem te viu?  Quem te vê? - Virada Cultural da Baixada tem a previsão de acontecer até no máximo a segunda semana de dezembro de 2013 como uma programação vasta envolvendo apresentações artísticas, feiras e intervenções reflexivas -”Bate-papos Culturais” sendo realizada num dia a partir das 18hs até as 06hs da manha de outro.

Assim afirmamos:
1) A consolidação de um Fórum Permanente de Entidades e Agentes Culturais da região.
2) A Descentralização Financeira (Orçamento) e Administrativa da maquina estadual com foco regional.
3) A continuação de nossa ação com Observatório Baixada de Políticas Públicas para Cultura e Juventude.
3) Adesão imediata do Governo do Estado ao Sistema Nacional de Cultura.
4) Criação de Fundo Estadual especifico para Desenvolvimento Cultural Regional.
5) Centros de Formação profissional na áreas das Artes e Cultura na Baixada Fluminense e nas outras regiões do estado.
6) Continuação, ampliação e efetivação do Programa Estadual Cultura Viva viabilizando novos editais para Pontos de Cultura em todo estado.

7) Criação de Programa Estadual para construção de Centros Culturais nos municípios.



Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Cansei, poesia

Recital de Poesia e Microrrelato em Vigo, realizado  no Galo Vento. Cansei, é uma das poesias que recitei no evento. A poesia está publicad...