segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Festival Mate Com Angu exibe "Vizinhança do Tigre" - de Affonso Uchoa

Um dos caminhos para investigarmos o "cinema popular" é o de olharmos para a produção das áreas populares desse brasilzão: periferias, aldeias indígenas, quilombos, beiras de rio, os atingidos pelas barragens, os pescadores de plataforma, sem terra, sem teto, do passinho, funk, treme, sambas olhares das esquinas, da conversas dos homens, das mulheres e das crianças no cotidiano.

Um dos filmes mais comentados de 2015, grande vencedor da Mostra de Cinema de Tiradentes (Júri Oficial e Júri da Crítica), A Vizinhança do Tigre, de Affonso Uchoa é um olhar íntimo sobre juventude de uma cidade da região metropolitana de Belo Horizonte. E é uma produção produzida por cineastas jovens de periferia.

Após a exibição do filme vamos abrir uma roda de conversa sobre distribuição: como a público das regiões populares pode ter acesso a produção diversa audiovisual brasileira. Como podemos fortalecer esse laço?

Eduardo Valente é cineasta, crítico e curador de cinema, formado em cinema pela UFF, com mestrado na USP. Dirigiu três curtas e um longa-metragem, todos exibidos em distintas mostras do Festival de Cannes, entre outros. Foi editor das revistas de crítica Contracampo (1998-2005) e Cinética (2006-2011). Fundador da Semana dos Realizadores (2009), fez curadoria para vários festivais do Brasil. Entre 2011 e 2016 trabalhou como Assessor Internacional da ANCINE. Atualmente é curador do Festival de Brasília e delegado para o Brasil do Festival de Berlim.

Diego Bion é editor, cineclubista e curador formado pela ETE Adolpho Bloch, Escola Popular de Comunicação Crítica – ESPOCC e Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu. Foi o responsável pela curadoria e programação do 4º Iguacine - Festival de Cinema da Cidade de Nova Iguaçu. Compôs o júri do 4º Iguacine - Festival de Cinema da Cidade de Nova Iguaçu e do Edital Cineclubismo da Secretaria de Cultura do Estado do Espírito Santo. Atuou como coordenador metodológico e mediador da Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu e faz a coordenação geral do Cineclube Buraco do Getúlio desde 2006.

A mediação é de Gabraz, artista visual, realizador de cinema e curador. Trabalha em diversos formatos e linguagens, alternando e por vezes acumulando funções de diretor, fotógrafo e montador. Enquanto autor sua obra transita entre o documentário direto e o cinema experimental, anti industrial, realizado por equipes mínimas ou muitas vezes sozinho. Dirigiu seu primeiro curta em 2004 e desde então lançou mais de 15 filmes em festivais no Brasil e no exterior. Em 2006 estabeleceu uma parceria com a escritora e psicanalista Lucia Castello Branco para a realização de uma série de filmes com alguns sujeitos singulares da literatura em língua portuguesa. Daí nasceu a trilogia 'Absolutamente sós', entre encontros com Manoel de Barros, Maria Gabriela Llansol e Maria Bethânia. Em 2016 lançou o curta 'We are Dreamers!' (co-produção com França e Inglaterra) no Festival de Curtas de Clermont e também Ruína, que estreou na Berlinale em fevereiro. Desde 2010 é curador da Mostra do Filme Livre, onde desenvolve um intenso trabalho de pesquisa em cinema brasileiro contemporâneo.


Local: Gomeia Galpão Criativo
Rua Dr. Lauro Neiva, 33, centro de Duque de Caxias, próximo ao Hospital Infantil

Horário: 19:30

Veja a programação completa do festival no site: http://matecomangu.org/site/





Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Temer transforma o Brasil num dos países mais infelizes do Mundo

Caiu um dos últimos mitos que restavam ao Brasil, o da felicidade. Pesquisa Gallup divulgado na última semana coloca o país como um dos ma...