segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Recuperar a imagem roubada é a grande meta na restauração da Igreja do Pilar

O primeiro passo para salvar um patrimônio histórico e religioso de Duque de Caxias e da Baixada Fluminense, a Igreja de Nossa Senhora do Pillar, foi dado nesta quinta-feira (9/10), em uma reunião promovida pelo prefeito Alexandre Cardoso e o bispo diocesano dom Tarciso Nascentes e pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (IPHAN), através do superintendente do órgão, Ivo Barreto Júnior, estiveram presentes empresários e do Ministério Público Federal (MPF). No encontro foi apresentada a proposta de recuperação dos quatro altares e representará o primeiro passo na continuidade da obra de recuperação geral do sítio histórico.

Ao falar para os empresários o prefeito de Caxias, Alexandre Cardoso destacou a importância da reunião na tentativa emergencial de recuperar o patrimônio, através de uma parceria com a iniciativa privada. “A prefeitura tem como contribuir com verba para a obra dos altares laterais, mas existem entraves burocráticos que acabam travando a liberação. Por isso, chamei os empresários com a finalidade de buscarmos com a iniciativa privada os meios necessários à obra. Como não existem grandes entraves burocráticos quando se trata do setor privado, a doação de recursos acaba sendo mais fácil”, afirma o prefeito.

A obra que será acompanhada pelo IPHAN e a Diocese está orçada em R$ 480mil, com duração prevista de cerca de um ano. “Todo o trabalho será acompanhado pela Diocese e o IPHAN. Em paralelo a obra, pretendo divulgar na mídia a imagem de Nossa Senhora do Pilar, que está desaparecida desde 2001. O importante é que todos estamos empenhados em um mesmo objetivo, recuperar este patrimônio”, disse o prefeito Alexandre Cardoso, que estava acompanhado da primeira-dama e secretária de Ações Institucionais e Comunicação, Tatyane Lima.

O bispo diocesano dom Tarciso Nascentes lembrou um pouco da história da igreja e do seu tombamento, em 1938, e a necessidade de recuperá-la, por ser um patrimônio tanto do município quanto de toda a Baixada. “Na festa da padroeira, no dia 12 de outubro, recebemos cerca de 10 mil pessoas participar da romaria. Isto prova a importância desta igreja para a população”, explicou.
Para o superintendente do IPHAN, Ivo Barreto Júnior, a atuação do prefeito Alexandre Cardoso em reunir empresários na busca de uma solução para a Igreja do Pilar mostra o quanto o patrimônio representa para a cidade. “Pouco são os prefeitos que agem desta maneira. Acho importante ele ter chamado a iniciativa privada para participar do projeto de recuperação dos altares laterais. Temos uma capacidade limitada de recursos e seria necessário um tempo maior para a liberação por parte da União. A partir desta mobilização integrando o município, empresários, união, diocese e o Ministério Público ficará mais fácil a preservação”, disse.

Participaram do encontro os secretários municipais Luiz Edmundo Costa Leite (Planejamento, Habitação e Urbanismo) e Luiz Felipe Leão (Obras), além do presidente da Câmara. Eduardo Moreira e representantes do Instituto Histórico de Duque de Caxias.


Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Temer transforma o Brasil num dos países mais infelizes do Mundo

Caiu um dos últimos mitos que restavam ao Brasil, o da felicidade. Pesquisa Gallup divulgado na última semana coloca o país como um dos ma...