terça-feira, 20 de julho de 2010

Cineasta de Caxias no Festival de Paulínia

O cineasta caxiense Cacau Amaral esteve no município de Paulínia em São Paulo, para a apresentação do filme 5x Favela- Agora por nós mesmos. A cidade tem uma refinaria da Petrobrás como Duque de Caxias, mas a comparação fica por aí. Paulínia além de ser bem mais desenvolvida, aproveitou os recursos dos impostos da estatal e decidiu abrir outras perpesctivas para a cidade e investiu em cultura. Hoje a maioria das grandes produções de cinema tem algo com a cidade, que reverte em imagem e recursos para Paulínia.
Segundo Cacau "Paulínia é monstruoso e cinematográfico,o maior estúdio que já vi, cinema, escolas, shopings, tudo é cinema naquele lugar."
Que bom seria se nossos governantes da Baixada visem algo além do asfalto.
Abaixo reproduzo as críticas sobre o filme 5X Favela, que estréia em agosto nos cinemas.

Alessandro Giannini, editor de UOL
Um dos episódios que mais emocionou o público foi "Arroz com Feijão".
Quem melhor respondeu a questão, que trazia no bojo uma crítica velada a "Cidade de Deus" e "Tropa de Elite", foi a jovem diretora Manaíra Carneiro, parceira de Wagner Novais em "Fonte de Renda". "Todo mundo quer que a gente fale mal de 'Cidade de Deus' e 'Tropa de Elite', mas não vou fazer isso porque gosto desses filmes e nem acho que representem as comunidades", disse ela.

Heitor Augusto, cineclick
Não há dúvidas de que o momento mais marcante do Festival de Paulínia até agora é a coletiva de imprensa com diretores e elenco de 5x Favela, Agora Por Nós Mesmos, que aconteceu no início da tarde deste domingo (18/7). A discussão começou sobre uma produção específica e desembocou numa reflexão sobre o Brasil.

Luiz Zanin Oricchio, de O Estado de S. Paulo
5 x Favela - Agora por Nós Mesmos foi o primeiro filme a de fato empolgar o público de Paulínia.
um menino resolve roubar um frango para dar de presente ao pai, cansado de levar apenas arroz e feijão na marmita. O humor e o humanismo desse episódio são incríveis.
Alguns críticos se queixaram de que o filme se fixaria em estereótipos, só que de sinais contrários. Por exemplo, num dos episódios se mostra o jovem mais privilegiado induzindo o favelado a delinquir. Noutro, são os meninos brancos que tiram o dinheirinho suado ganho pelos garotos favelados para comprar o frango para o pai de um deles. Clichês, que culpam os privilegiados sociais? Talvez. Mas pode ser apenas outra maneira de perceber a complexa realidade social brasileira, e que ainda não tivéramos no cinema nacional, mesmo porque ele é majoritariamente feito pela classe privilegiada, tenha ela consciência culpada ou não.
5 x Favela está longe de ser perfeito, tanto técnica quanto conceitualmente. Quem procurar defeitos vai encontrar. Mas seria uma maneira mesquinha de ver esse filme que pode nos comover e, por que não?, ensinar alguma coisa sobre um tipo de realidade que julgamos conhecer mas só enxergamos sob o filtro do nosso preconceito.

André Miranda – O Globo
o longa-metragem que todos mais esperavam: “5X Favela, agora por nós mesmos”,

Isabelle Mani – Gente.ig
"5x Favela: Agora por nós mesmos", foi o ponto alto da terceira noite do Festival de Cinema de Paulínia

Os diretores do filme no Festival com Cacau Amaral no centro

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Cansei, poesia

Recital de Poesia e Microrrelato em Vigo, realizado  no Galo Vento. Cansei, é uma das poesias que recitei no evento. A poesia está publicad...