quarta-feira, 21 de julho de 2010

Entrevista com a diretora do Museu Ciência e Vida

Nosso blog entrevistou a Vice-presidente do Cedej, Mônica Dahmouche, que está a frente do Museu Ciência e Vida, na entrevista ela fala de suas impressões e novos projetos para o espaço.

1- Como a população esta vendo o Museu?
 Estamos muito felizes com o retorno que a população vem dando ao MCV, eles estão se apropriando daquilo que foi feito para eles, isso é importante.
Observamos o interesse deles tanto no que já existe quanto no que está por vir.Pelas perguntas que eles fazem com respeito ao espaço do museu e das exposiçoes percebemos que eles vem olhando o site, isso é legal eles estão conectados com museu mesmo estando fora dele.  O público tem sido de aproximadamente 180 pessoas durante a semana e 250 nos fins de semana.  É importante considerar que náo fazemos propaganda, estamos na base do boca a boca e com apenas 16 dias de abertura, o público está  ótimo.  Sabemos que esses números representam mais do que o dobro do publico de alguns museus do Rio, já bem estabelecidos.   É  importante destacar que estamos num mês de férias que para um museu com a nossa linha seria um mês de baixo público, não tenho dúvida que no perído letivo o público aumentará significativamente.
Essa semana passamos a oferecer também sessóes de video ao longo do dia.
2- Quando serão inaugurados os outros espaços? 
Estamos na tramitação final da burocracia para receber o recurso da Petrobras que viabilisará a expo sobre energia cuja inauguração  está previsto para meados de 2011.  As demais exposiçoes seráo inauguradas depois, estamos inscrevendo nas Leis de incentivo fiscal que facilitam a captação de recursos.
3- Qual será a próxima exposição?
Ainda estamos em negociação mas acredito que será a exposição sobre Santos Dumont o maior inventor brasileiro.  Essa expo foi desenvolvida pelo MAST.  Junto com a expo ofereceremos oficinas para professores sobre vôo, será bastante interessante.  Estamos negociando também uma exposição temporária internacional de grande porte, mas essa é surpresa pois ainda náo está fechado.  Está sendo  elaborada uma expo  temporária que será inaugurada aqui, deve ser em outubro.  MAs também deixo para  dar os detalhes mais perto.  Como você pode ver ainda há muitas novidades para o MCV mostrar à população. 
4- O que você acha que os Museu pode mudar na realidade de Duque de Caxias?
 O Museu, não somente em Caxias como em qq lugar funciona como agente transformador, já que ele leva a população a refletir sobre temas que muitas vezes náo tinham sido apresentados.  Em outros casos eles aboradam temas corriqueiros sob uma otica diferente.  Além disso, é  um espaço de lazer diferenciado, pois náo instiga o consumo de bens materiais a  comparação mas oferece a oportunide de conhecer coisas novas ou rever algumas coisas náo táo novas...
 Mais especificamente quanto ao público escolar o museu abre portas e instiga a imaginação, permite que o aluno se questione que pense a respeito daquele tema podendo desenvolver nele outros interesses que podem levar até mesmo a determinação de sua carreira profissional.  sonhar náo tem preço acho que uma das funções do museu é isso para os jovens que eles sonhem abram seus horizontes,  conforme apontou o Marcos Pontes no dia da inauguração. 

                                                 Mônica Dahmouche, o Deputado Alexandre Cardoso e o astronauta Marcos Pontes

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Cansei, poesia

Recital de Poesia e Microrrelato em Vigo, realizado  no Galo Vento. Cansei, é uma das poesias que recitei no evento. A poesia está publicad...