segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Blocos de Duque de Caxias pedem socorro


"Quem não gosta de samba, bom sujeito não é, ou é ruim da cabeça ou donte do pé", a letra de Dorival Caymmi cai bem para o prefeito de Duque de Caxias. Os blocos de nossa cidade estão passando muitas dificuldades para colocar o carnaval na rua. Os representantes caxienses que desfilam em Campinho contam apenas com a subvenção de R$ 11 mil reais da prefeitura do Rio de Janeiro, para colocar o bloco na rua. Segundo um dos diretores de um bloco, gasta-se em média R$ 25 mil reais para custear o  desfile.

O desfile em Duque de Caxias não existe mais, a disputa que tinha entre as agremiações caxienses agora acontecem no Rio de Janeiro. Para uma cidade como a nossa isso é um fato muito triste, outras cidades tem disputa de blocos e até de escolas de samba, como é o caso de Nova Iguaçu. Não se vê nenhuma ação para reverter o quadro, parece que o samba, um dos pilares da nossa cultura não é tratado com o devido respeito à sua tradição.

O bloco Flor da Primavera, é o único representante da cidade no grupo I, a elite dos blocos do Rio. Ele será o sétimo bloco a desfilar na Av. Rio Branco, no sábado de Carnaval . O Enredo é: "Quem tem dinheiro pode. Quem não tem, se sacode! - Dinheiro: um mundo de poder." do Carnavalesco Fabiano Ferraro. 

O que fica claro é que sem a ação do poder público municipal, para articular parcerias e organizar a festa, ela acaba minguando e um dia morre, blocos como : Do China, Flor da Primavera, Esperança de Nova Campinas, Império do Gramacho, Simpatia do Jardim Primavera, Unidos do Laureano e Unidos de Parada Angélica, merecem nossas homenagens, por resistir bravamente e levar à frente o carnaval de nossa cidade, e que não só de Grande Rio vive o samba de Duque de Caxias.

Abaixo algumas imagens do carro alegórico do Bloco Unidos do Laureano.




Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Cansei, poesia

Recital de Poesia e Microrrelato em Vigo, realizado  no Galo Vento. Cansei, é uma das poesias que recitei no evento. A poesia está publicad...