sexta-feira, 8 de maio de 2015

Arte de Carlos Bobi no Rock In Rio USA, e Combone abre exposição individual no Rio

Os artistas de Duque de Caxias, que são crias do MOF vem cada dia subindo mais um degrau em suas talentosas carreiras, Carlos Bobi e Combone Wesley tem novidades muito especiais.

Começou hoje o Rock In Rio USA, que está sendo realizado na cidade de Las Vegas. O evento além dos shows, traz outras atrações, entra elas a Rock Street, que tem como uma das inspirações o nosso país. O trabalho foi criado pela Ciclo Arquitetura, tem assinatura do arquiteto João Uchôa, do escultor Glauco Bernardi e do artista plástico de Duque de Caxias Carlos Bobi, estampando um grande mural com seu trabalho.
Bobi, como é mais conhecido é um dos fundadores do MOF, e vem cada vez ganhando espaço na cena artística com seus trabalhos.

Foto: Rock in Rio USA - Grafiti Carlos Bobi



Na próxima terça-feira, dia 12 de maio, outro representante do MOF, Combone, abre sua exposição individual na galeria Paçoca, que fica na Rua Major Ruben Vaz, 103 - casa, no Jardim Botânico.





Texto de Hugo Inglez para a  exposição "Indivisão"do artista Combone.


A arte do Combone possui um caráter universal, fruto do elaborado folclore presente em suas obras, uma reunião de elementos e alegorias que conversam com inúmeras culturas. Bois-divindades que vão da festa do Bumba meu Boi ao culto indiano às vacas, figuras femininas com traços de influência oriental e intrincado vestuário que remete ao carnaval, ao circo e inclusive aos antigas trajes da aristocracia europeia. São diversas camadas de significação sobrepostas em elegante harmonia, o que confere riqueza visual e conceitual às obras.



A precisão, beleza e singularidade do seu traço parecem o resultado irônico de sua instintividade no processo de criação, com pinceladas espontâneas e uma composição brutal de cores puras, aplicadas diretamente das bisnagas.


As mulheres são o tema natural dessa criação por instintos. As musas do Combo são os veículos para o arrebatamento do que há de excitante, sexual, apaixonado e perverso na alma do artista. Retratadas em posições que sugerem timidez, mas que revelam uma vulnerabilidade erótica, elas suportam o fardo de pesadas ombreiras e coroas, onde o colorido das pinturas se concentra, como se a representar o preço da entrega ao universo das fantasias.

São rainhas e prisioneiras do mundo fantástico que criaram, e que, transportado para a materialidade cotidiana, as retira da proteção e segurança de suas vestes, deixando apenas a fragilidade da sobrevivência. As mulheres do WMO transmitem a insegurança e melancolia do próprio artista frente à dureza da realidade, por estar aprisionado ao seu reino de sensações.

O uso de ouro e prata nas pinturas reforça o contraste entre o mundo material e os aspectos intangíveis do espírito. O ouro simboliza o elemento mais controverso na história da humanidade, por trazer felicidade e beleza ao espírito interior, mas também provocar guerras e morte.

A utilização de simbolismos marca a obra do Combone. Para ele, poder, ganância e religião são propriedades simbólicas tão maleáveis quanto os metais que as representam fisicamente.

E o amor. O amor está sempre presente em seu estado mais puro, nas linhas simples de um coração, a primeira e absoluta forma que toda criança aprende para representar o estado de existência mais elevado.

Hugo Inglez



Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Cansei, poesia

Recital de Poesia e Microrrelato em Vigo, realizado  no Galo Vento. Cansei, é uma das poesias que recitei no evento. A poesia está publicad...