quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Ojuobá Axé comemora 30 anos com exposição no Sesc Caxias

Mostra "30 anos de Ojuobá Axé – uma história de resistência" estreia nessa sexta-feira, dia 6/11, às 14h, como parte da programação de IMÓ

Com a proposta de difundir as linguagens artísticas e promover o acesso à informação e à produção do conhecimento, o Sesc Rio desenvolve ações que estabelecem diálogos entre a instituição, o público, a arte e os artistas; sempre calcados no respeito e na valorização dos hábitos e práticas individuais e coletivos, estimulando os saberes como possibilidade de construção de um novo olhar sobre o mundo. Baseado nisso, o Sesc Duque de Caxias preparou a  exposição "30 anos de Ojuobá Axé – uma história de resistência". Com inauguração amanhã, dia 6/11, às 14h, no Sesc, a mostra conta a trajetória de 30 anos do grupo afro-cultural Ojuobá Axé, por meio de instalações artísticas e audiovisuais inéditas, produzidas especialmente para esta exposição, junto ao acervo pessoal dos integrantes e ao da instituição.
Através desse material será possível conhecer os momentos da trajetória de 30 anos da Instituição Ojuobá Axé, cuja missão de valorizar e promover a cultura negra, universalizar a informação e realizar ações afirmativas com jovens no município de Duque de Caxias vem se constituindo em um projeto de vida renovador, onde eles são multiplicadores e protagonizam a transformação social por meio da cultura afro, arte e educação, rompendo com paradigmas impostos pelos preconceitos e separatismos da sociedade.

Sobre o Ojuobá Axé
O Ojuobá Axé nasceu em 1985, em Duque de Caxias, com a missão de valorização e promoção da cultura negra. Superou preconceitos e barreiras buscando sempre estimular os jovens a construírem um projeto de vida renovador, onde eles são multiplicadores e protagonistas da transformação social por meio da cultura afro, arte e educação. Esta Instituição afro-cultural é, hoje, um dos mais ativos e importantes pontos de resistência e que vem, ao longo dos seus 30 anos, modificando vidas.

Ojuobá, que quer dizer “Os olhos do Rei” ou “Os olhos de Xangô”, o rei forte, imbatível, justo e grande guerreiro, é uma instituição que lida diretamente com a “superação a cada dia” de sua comunidade, de sua gente e de seus próprios elos. Gente que reconstrói o destino, que tem o horizonte desnudado e impelido a crescer, a viver um caminho melhor. A firmeza de uma gente que educa, ensina, alimenta e dá amor, é a rotina desta casa em sua longa trajetória.

Sua história se entrelaça com a vida das famílias da comunidade, através das suas ações diretas, com a do seu município, onde foram a parte ativa de criação do Busto de Zumbi dos Palmares e posteriormente, no monumento de corpo inteiro que se encontra em praça pública em Duque de Caxias e até em suas ações que ganharam vulto para fora do país, chegando até ao ativista Nelson Mandela, para o qual se apresentaram na Praça da Apoteose, em sua passagem rápida e emocionante pelo Brasil.

IMÓ
Baseado nos dados da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios), que revelaram que os negros são a maior parcela da população brasileira: pretos e pardos são quase 53% dos brasileiros e, apesar disso, ainda são muitos os desafios enfrentados pelos afrodescendentes no dia a dia: salários menores, menos oportunidades de estudo e trabalho, violação de direitos básicos entre outros, o Sesc Rio de Janeiro elaborou uma programação especial que discute questões contemporâneas do negro no Brasil e celebrar o legado e a presença afrodescendente na cultura nacional com o projeto “ÍMÓ: o despertar da consciência”, que reúne artistas e estudiosos em debates e apresentações culturais ao longo do mês de novembro. A celebração do Sesc percorre várias unidades em  uma extensa programação cultural gratuita ou a preços populares. Para saber mais sobre o projeto “ÍMÓ – o despertar da consciência” e a programação completa do Mês da Consciência Negra acesse www.sescrio.org.br.


Serviço:
30 anos de Ojuobá Axé – Uma história de resistência
Sesc Duque de Caxias
Endereço: Rua General Argolo, 47, Jardim 25 de Agosto. 
Informações: 3659-8412
Período: 6/11 a 12/12
Visitação: segunda a sábado, das 8h às 17h
Classificação livre
Grátis








Um comentário:

lukinos disse...

Muito obrigado pela atenção. Contamos com sua presença representando a Cultura em Duque de Caxias. Tudo muito lindo, você vai ver. abração!

Postagem em destaque

Cansei, poesia

Recital de Poesia e Microrrelato em Vigo, realizado  no Galo Vento. Cansei, é uma das poesias que recitei no evento. A poesia está publicad...