terça-feira, 22 de novembro de 2016

Casa Brasil de Imbariê recebe a Mesa "De Pés Descalços"

A Mesa “De Pés Descalços”, numa parceria do Ciclo Ato Criador "Outros Possíveis" e da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de Duque de Caxias que aconteceu ontem na Casa Brasil Imbariê trouxe à tona o debate sobre a ressignificação da Educação Oral e das possibilidades de novas formas de condução da vida neste mundo.
Esta foi a 6ª edição do evento, realizado desde 2006, sob a curadoria e supervisão da atriz, jornalista e gestora cultural Ana Lúcia Pardo.
O evento foi aberto pela curadora Ana Lúcia Pardo, apresentando a mesa e discorrendo um pouco sobre o Ciclo Ato Criador; o Subsecretário de Cultura e Turismo Beto Gaspari saudou a todos e todas, agradeceu a presença, justificou a ausência do Secretário André de Oliveira, em razão da abertura da Exposição “Perspective-se” que estava acontecendo no mesmo horário, e externou a importância de uma mesa desta na Casa Brasil que já tem produzido tanto pelo esforço e criatividade dos que dela participam; Alex Fabiani, coordenador da Casa, agradeceu e saudou a mesa e os presentes. Aproveitou para destacar o trabalho de alunos, professores e frequentadores da Casa que fazem com que ali, de fato, haja outros possíveis, sejam criadas novas vias.
Na mesa estiveram:
Rodrigo Paris: Jornalista, analista político e ex-diplomata do Reino Unido, foi selecionado como um dos 100 colombianos mais influentes pelo governo da Colômbia em 2015. Mestre em Relações Internacionais pela Universidade Complutense, realizou estudos em Inovação e Desenvolvimento Econômico na Universidade de Harvard. Além disso, é membro da Royal Geographical Society da Inglaterra e trabalha, desde 2013, como diretor para a América Latina da ONG indiana Barefoot College (Universidade de Pés Descalços). Esta organização, com presença em 18 países do continente, atua na capacitação de mulheres, com o objetivo de levar a eletricidade a zonas rurais, com populações majoritariamente indígenas, por meio de painéis solares;
Laura Santos: Arte-educadora e quilombola de Campinho da Independência (Paraty, RJ). Neste Quilombo, coordenou o Projeto Ponto de Cultura Manoel Martins e o Projeto Prêmio Tuxaua Escola Experimental Tio Leandro (experiência em Educação Diferenciada para Quilombolas, Indígenas Guarani e Caiçaras). Como Pesquisadora Comunitária, contribuiu para a implementação da Educação Diferenciada neste mesmo Quilombo e para a implementação do Ensino Fundamental 2 nas Comunidades Caiçaras da Região; e
José Ramos Caminiti: Massoterapeuta clínico e gestor de projetos. Trabalha com projetos ligados á Saúde em Paraty, RJ.
Cada um dos convidados apresentou sua vivência nos projetos aos quais estão ligados, numa narrativa com riqueza de detalhes, feita oralmente e com projeção de imagens, sobre o potencial e as dificuldades de cada empreitada. Experiências diferentes, que tinham em comum, o papel do protagonismo dos agentes, das pessoas, na construção e desconstrução de saberes e fazeres, num processo de ressignificação das próprias vidas.
Destacando a oralidade como principal meio de compartilhamento destes conteúdos, chamaram o público presente a refletir sobre o papel de cada um de nós na construção dos caminhos alternativos, outros possíveis, no contexto atual de dominação, consumismo e superficialidades.
A comunidade local participou ativamente com um público de jovens e adultos, alguns alunos da própria Casa Brasil, dos cursos de teatro, cinema, hip-hop, produtor de eventos, desenho, freqüentadores da Biblioteca Monteiro Lobato, dos eventos culturais que a Casa promove e outras pessoas que participam de atividades religiosas e de assistência social na região. Foram feitas proposições e perguntas da plateia à mesa.
O evento teve início às 18:30 e encerrou-se às 21:50, tal foi o interesse do público presente.

O Ciclo Ato Criador “Outros Possíveis” segue até o fim do ano, com mesas-redondas, palestras, debates e oficinas que reúnem artistas e teóricos de áreas diversas na busca por lançar uma luz sobre a estética da existência e de novos modos de criação de mundos, criação de possíveis.

O Projeto tem patrocínio da Oi, da Petrobrás, do Governo do Rio de Janeiro, da Secretaria de Estado de Cultura e da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro. Neste ano, a série também recebe o apoio do Consulado da França no Rio de Janeiro. Todas as atividades são gratuitas.

 Mais informações no site Ato Criador 2016 (https://atocriador2016.wordpress.com/novembro/)

Curta e compartilhe a página do Ciclo Ato Criador Outros Possíveis 2016 no facebook: https://www.facebook.com/atocriadoroutrospossiveis2016/





Fotografia: Cristiano Ludgerio


Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Cansei, poesia

Recital de Poesia e Microrrelato em Vigo, realizado  no Galo Vento. Cansei, é uma das poesias que recitei no evento. A poesia está publicad...