sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Grupos de teatro da Baixada Fluminense realizam mostra no Teatro Glauce Rocha

Mostra realizada pela Rede Baixada em Cena, composta por 18 coletivos da Baixada Fluminense, ocupa o Teatro Glauce Rocha com espetáculos, oficina, debates e leituras dramatizadas

Entre os dias 2 e 13 de novembro, a Rede Baixada em Cena – formada por 18 coletivos de 13 cidades da Baixada Fluminense – retorna ao centro do Rio para mais uma mostra teatral, desta vez no Teatro Glauce Rocha.
Contemplada pelo edital “Cena Aberta”, da Fundação Nacional de Artes (Funarte),
Serviço:
MOSTRA BAIXADA EM CENA
De 2 a 13 de novembro, com atividades em diversos horários
Local: Teatro Glauce Rocha - Av. Rio Branco, 179. Centro – Rio de Janeiro – RJ
Ingressos: R$ 10,00 (Inteira) R$ 5,00 (meia)

Contatos para Imprensa
Leandro Fazolla – (21) 99501-9062
Jorge Braga Jr – (21) 99813-1101
Email: redebaixadaemcena@gmail.com

PROGRAMAÇÃO

2 DE NOVEMBRO (QUARTA-FEIRA)

17:30h.: Abertura

19h.: Espetáculo “Falar da Baixada” (Cia. Atores da Fábrica – Nova Iguaçu)
Classificação indicativa: Livre / Duração: 40 minutos
Da exportação de matéria-prima à construção de importantes rodovias, o espetáculo faz um recorte histórico e traz à tona diversos motivos pelos quais deva-se enxergar a Baixada Fluminense com olhar mais holístico. Os atores se revezam em várias personagens/narradoras que contam de forma lúdica, fatos históricos que marcaram o processo de desenvolvimento desta região. O espetáculo foi criado a partir da frase que dá título as crônicas de Gênesis Torres: “Por que falar da Baixada Fluminense?”

3 DE NOVEMBRO (QUINTA-FEIRA)

16h.: Espetáculo “Alice no País das Maravilhas” (Fanfarras Produções Artísticas – Nilópolis)
Classificação indicativa: Livre / Duração: 60 minutos
O espetáculo é uma versão muito divertida da clássica obra de Lewis Carrol. Alice vai atrás de um coelho falante e cai em buraco. Isso a faz parar em um mundo bem diferente do seu. Nesse mundo maravilhoso ela percorrer vários lugares conhecendo personagens exóticos.

19h.: Espetáculo “Joio” (Cia. Cerne - São João de Meriti)
Classificação indicativa: 14 anos / Duração: 55 minutos
Nascido de um estudo sobre a traição, Joio conta a história de Jéssica, adolescente que tem a trajetória de sua vida alterada a partir do agravamento da dependência química de sua mãe. Jéssica divide-se entre proteger suas irmãs ou proteger a si mesma. Joio fala sobre tragédias urbanas contemporâneas que raramente se tornam conhecidas. O espetáculo dá nome a estes personagens anônimos, que vivem em um grave e constante universo de violações, sujando-se de afeto e rancor, vacilando entre a esperança e o trauma, em um espaço onde o medo e a incoerência de ser humano conduzem cada ação

4 DE NOVEMBRO (SEXTA-FEIRA)

15h.: Debate “O Teatro da Baixada Fluminense”
Convidados: Abílio Ramos, Ediélio Mendonça, Luís Washington e Mariah da Penha. Mediador: Jorge Braga Jr. - Cia. Código de Artes Cênicas (Japeri)

19h.: Espetáculo “Ainda Aqui” (Cerne - São João de Meriti)
Classificação indicativa: 12 anos / Duração: 55 minutos
O espetáculo narra a história de uma família obrigada a conviver com dores e sacrifícios. A trama se desenvolve a partir do desaparecimento do filho, Maurício, torturado e morto político; e do desenvolvimento do Alzheimer na mãe, Maria, que, esquecendo-se repetidamente da morte do filho, confina a si mesma e ao marido num eterno retorno à dor da perda. Ainda que tenha como pano de fundo um contexto político, o espetáculo se passa no ambiente familiar e constrói, aos poucos, uma grande história de amor e afeto.

5 DE NOVEMBRO (SÁBADO)

14h às 18h
Oficina com a Cia. Código de Artes Cênicas sobre o processo de criação do espetáculo “Naquele Instante”, criado com base no biodrama e no teatro documentário. Capacidade: 15 atores e estudantes de teatro.

19h:. Espetáculo “Naquele Instante” (Código de Artes Cênicas – Japeri)
Classificação indicativa: 14 anos / Duração: 60 minutos
Viajando nas lembranças de infância e passando pela adolescência de cada um, o espetáculo criado a partir das memórias trazidas pelos atores que integram o elenco, apresenta um mergulho nas profundezas da nostalgia. O espetáculo é fruto de pesquisa da Cia a respeito do teatro documentário e do biodrama. Obs: O espetáculo é apresentado para apenas 50 pessoas.

6 DE NOVEMBRO (DOMINGO)

18h.: Espetáculo “Naquele Instante” (Código de Artes Cênicas – Japeri)
Classificação indicativa: 14 anos / Duração: 60 minutos
Viajando nas lembranças de infância e passando pela adolescência de cada um, o espetáculo criado a partir das memórias trazidas pelos atores que integram o elenco, apresenta um mergulho nas profundezas da nostalgia. O espetáculo é fruto de pesquisa da Cia a respeito do teatro documentário e do biodrama. Obs: O espetáculo é apresentado para apenas 50 pessoas.

9 DE NOVEMBRO (QUARTA-FEIRA)

16h.: Leitura Dramatizada “Borra” (Trupe Investigativa Arroto Cênico - Nova Iguaçu)
Classificação indicativa: 18 anos / Duração: 60 minutos
O espetáculo “BORRA” é livremente baseado no universo realista do dramaturgo paulista Plínio Marcos. O texto trata às relações conflituosas de oito personagens que têm seus destinos cruzados dentro de uma cela, e que estão o tempo todo buscando maneiras de se assegurar perante os outros, por brigas, olhares, imposições e até mesmo pela demência.

19h.: Espetáculo “Torturas de um coração” (Cia. Casa Verde – Itaguaí)
Classificação indicativa: Livre / Duração: 55 minutos
Torturas de um coração conta a história de Benedito, um negro pobre e sem títulos. Apaixonado por Marieta, descobre que para conquistá-la precisa provar que é mais valente que o Cabo Setenta e Vicentão, os mais valentes da cidade de Taperoá.

10 DE NOVEMBRO (QUINTA-FEIRA)
16h.: Espetáculo Infantil “A Festa no Céu” (Cochicho na Coxia – Mesquita)
Classificação indicativa: Livre / Duração: 60 minutos
A notícia que teria uma festa no céu corre toda a Floresta e deixa os bichos animados com a ideia. Mas, somente os animais que voam receberam o convite. O Sapo Cururu, muito malandro, não se conforma e realiza várias tentativas de chegar ao céu. Com muita música e resgatando as cantigas de roda, a “A Festa no Céu” traz uma linguagem de contação de histórias e teatro de máscaras, baseada nos contos populares.

19h.: Espetáculo “A Farsa do Amor Acabado” (Cia. de Arte Popular - Duque de Caxias)
Classificação indicativa: Livre / Duração: 60 minutos
“A Farsa do Amor Acabado” vasculha e coloca no palco os sentimentos e comportamentos humanos, num misto de realidade fictícia ou ficção realista, com os elementos da cultura popular. Sete atores de uma Cia. mambembe, numa pracinha qualquer, de uma cidade qualquer, interpretam, tocam, cantam e contam a história da chegada de Tonho e Aderaldo, que retornam a cidade natal por motivos distintos. Vão pagar mil promessas, vão vencer provações, mal do amor acabado, vão tirar dos corações.

11 DE NOVEMBRO (SEXTA-FEIRA)

15h.: Debate “O Teatro de Grupo em Rede no cenário estadual”
Convidados: Filipe Peçanha, Marcus Galiña, Pablo Rodrigues e Reinaldo Santanna
Mediador: Lino Rocca - CETA (Nova Iguaçu)

19h.: Espetáculo “Perdoa-me por amar” (CETA - Nova Iguaçu)
Classificação indicativa: 14 anos / Duração: 60 minutos
Perdoa-me por amar é um espetáculo solo-laboratório em que atriz Vânia Santos modula a composição de diversas personagens femininas simultaneamente no mesmo tempo/espaço teatral propondo uma dinâmica experiência de interpretação e composição cênica. Assim quando se inicia a cena o mundo dessas personagens se abre revelando verdades, sonhos, desilusões e a fragilidade de nossa Existência. Eros e Tanatos, Instinto e Razão, Liberdade e Escravidão Voluntária são as categorias de pensamentos que norteiam a composição, para nós, destas personagens.

12 DE NOVEMBRO (SÁBADO)

19h.: Espetáculo “Sapato Apertado” (Cia. Queimados Encena – Queimados)
Classificação indicativa: 14 anos / Duração: 55 minutos
“Sapato Apertado” é um drama, livre adaptação de “Os Palhaços” de Frederico Fellini, onde um diálogo travado nos bastidores de um velho circo entre um palhaço e um espectador estreita os limites que separam a representação e a realidade. O ofício do artista tem seu valor e importância questionados num jogo tragicômico e surpreendente que junta pela primeira vez em cena duas Companhias teatrais da Baixada Fluminense: Cia Código de Artes Cênicas e Queimados Encena, ambas sob a direção de Xando Graça.

13 DE NOVEMBRO (DOMINGO)

18h.: Espetáculo “Muralhas de Corinto” (Coletivo Obcena – Nilópolis)
Classificação indicativa: 16 anos / Duração: 60 minutos
Adaptação contemporânea da tragédia grega Medea de Eurípedes. Medeia é uma mulher carregada de ódio e vingança que ao descobrir o ultraje feito pelo seu próprio marido, Jasão, se revolta contra todos ao seu redor, prometendo vingança. Desnorteada com as injustiças, ela premedita um crime que mudará a vida de todos de Corinto. A peça aborda questionamentos acerca do posicionamento da mulher na sociedade



Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Cansei, poesia

Recital de Poesia e Microrrelato em Vigo, realizado  no Galo Vento. Cansei, é uma das poesias que recitei no evento. A poesia está publicad...