quarta-feira, 11 de maio de 2011

Reggae toma conta do Sesc São João de Meriti

Direto do Baixada Fácil


Reggae toma conta do Sesc São João de Meriti
Há 30 anos, a música perdia Bob Marley, o principal difusor do reggae no mundo. Este gênero musical, que surgiu na Jamaica na década de 60, chegou à Baixada Fluminense nos anos 80 e tornou-se uma importante ferramenta dos jovens para denunciar problemas sociais e raciais. O movimento reggae da região revelou grupos e artistas de sucesso no Brasil, como Cidade Negra, O Rappa, Negril e Seu Jorge. Para resgatar essa história, o Sesc São João de Meriti promove o Reggae Baixada, projeto que reúne apresentações musicais, exposição, debates e exibição de filme. 

No dia 17 de maio, um talk show com Ras Bernardo (ex-vocalista do Cidade Negra) e Dida Nascimento (fundador do grupo KDM-5) vai discutir o passado e o presente do reggae na Baixada. Haverá ainda a exibição do documentário “Reggae na praça”, de Tiago Araújo. O evento é gratuito e começa às 14h. 

As bandas Sementes da Alma, Maria Preta e Raízes que Tocam, ambas da Baixada Fluminense, se encontram para um show no dia 20 de maio, às 19h. Já no dia 27, às 20h, a Suburbanda lança seu primeiro DVD numa apresentação com participação de Sergio Loroza e Da Ghama (Cidade Negra). 
Até 28 de maio, o público também poderá conferir uma exposição que conta a história do reggae na Baixada por meio de reportagens e fotografias. 

O Sesc São João de Meriti fica na Av. Automóvel Clube, 66.Informações no telefone: (21) 2755-7070

Palestrantes:
Dida Nascimento
Dida Nascimento é artista plástico, músico e compositor. Fundou, junto com Marrone e Lauro Farias (atual O Rappa), a lendária banda KMD-5, que também já teve como integrantes Marcelo Yuka (ex-O Rappa), Cosme Chê (Afro Reggae) e Dikeu (ex-Negril). Dida gravou dois álbuns com a Negril e um disco solo (“Nação híbrida”).

Ras Bernardo
Ras Bernardo iniciou sua carreira com Bino, Lazão e Da Gama, formando o grupo Lumiar, que, mais tarde, mudou o nome para Cidade Negra. Em 1991, lança “Lute pra viver”, primeiro álbum do grupo, que estoura com “Falar a verdade”. Em 1993, deixa o Cidade Negra para se dedica à carreira solo. Sua música alerta para os problemas do Rio e, em especial, da Baixada

Bandas
Maria Preta
Seguindo um estilo reggae-rock puro, Maria Preta lança seu primeiro álbum, “Cabeça, tronco e membro”. Natural de Belford Roxo, a banda fundou no município a ONG “Flor de Bel”, com o objetivo de ensinar música a crianças e jovens do bairro Areia Branca.

Semente da Alma
Nascida em Austin, um bairro da cidade de Nova Iguaçu, a banda mistura elementos musicais reggae e outras referências musicais dos anos 70, além do jazz e do blues. Suas letras buscam os princípios de uma sociedade justa. 

Raízes que Tocam
A banda surgiu em 2002 no município de Nilópolis com a proposta de divulgar o reggae de raiz. Conquistou seu lugar no cenário reggae, tendo dividido o palco com bandas nacionais e internacionais consagradas, como Ponto de Equilíbrio e Mato Seco. 

Suburbanda
Fundada por Neco Trindade, a banda de Belford Roxo toca, basicamente, pop reggae. 


Confira a programação: 

17/05 – Talk show - Troca de ideias sobre o movimento do reggae na Baixada, iniciado nos anos 80 em Belford Roxo, e seus desdobramentos até os dias atuais com a exibição do documentário “Reggae na praça”, de Tiago Araújo (Novo Cinema Marginal). Participação e performance musical de Dida Nascimento e Ras Bernardo, precursores do movimento e ex-integrantes das bandas KDM-5 e Cidade Negra. Mediação: Vicente Freire.
Horário: 14h
Grátis / Classificação: Livre 

20/05 – Encontro de bandas- O cenário do Reggae na Baixada Fluminense nos dias de hoje com apresentação das bandas Sementes da Alma, Maria Preta e Raízes que Tocam.
Horário: 19h 
Ingressos: R$ 12 (inteira), R$ 6 (estudantes e maiores de 60 anos), R$ 3 (comerciários) Classificação: Livre

27/05 – Show Suburbanda e convidados - Neco Trindade e a banda Suburbanda, apresentam o show de lançamento de seu primeiro DVD, com roupagem pop reggae. Participação de convidados especiais.
Horário: 20h
Ingressos: R$ 12 (inteira), R$ 6 (estudantes e maiores de 60 anos), R$ 3 (comerciários) 
Classificação: Livre

Exposição Viva Memória
Até 28/5 
Reportagens, cartazes e fotografias do acervo de Dida Nascimento (um dos fundadores da banda KMD-5) contam a história do reggae na Baixada Fluminense. 
Visitação: terça a domingo, das 10h às 17h
Grátis / Classificação: Livre

Fonte: www.baixadafacil.com.br

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Temer transforma o Brasil num dos países mais infelizes do Mundo

Caiu um dos últimos mitos que restavam ao Brasil, o da felicidade. Pesquisa Gallup divulgado na última semana coloca o país como um dos ma...