segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Autores e livros sobre a Baixada Fluminense

A boa dica de hoje vem do site: http://livrosbaixadafluminenserj.blogspot.com/ . O site é um belo trabalho organizado pela minha amiga Claudina de Oliveira, que vem arregimentando um grande acervo de autores da região.

- Baixada Fluminense A Construção de uma História - Sociedade, Economia, Política.IPAHB Editora. Vários Autores. Organização de Gênesis Torres. 2004 - 218 páginas

 Cidade Estilhaçada: Reestruturação Econômica e Emancipações Municipais na Baixada Fluminense - Manoel Ricardo Simões Esta tese tem como objetivo analisar os processos de emancipação municipal dos antigos distritos do município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, ocorridas no século XX. O fio condutor desta investigação é a articulação entre o processo de desenvolvimento econômico da região e as sucessivas reestruturações da organização sócio-espacial ocorridas nesse município que implicaram no surgimento de novas classes sociais e grupos políticos localizados nos distritos.O aparecimento de grandes desigualdades sócio-espaciais provocadas pelo modelo de ocupação do solo e pela aplicação seletiva dos investimentos da prefeitura em bens e serviços públicos provocou o questionamento à respeito das estruturas de poder local e da ordem jurídico-administrativa que desemboca em movimentos sociais e alianças políticas de construção de novas identidades territoriais que se consolidam nas emancipações municipais de Duque de Caxias, São João de Meriti, Nilópolis, Belford Roxo, Queimados, Japeri e Mesquita.Estas emancipações permitiram a subida ao poder de grupos políticos locais e o estabelecimento de novos projetos e arranjos econômicos nos municípios e uma nova composição de forças no jogo político da Baixada Fluminense e no Estado do Rio de Janeiro como um todo.

Pelos Caminhos que a História Deixou (Stélio Lacerda e Rogério Torres, publicação independente, 2004 - Passeios culturais aos principais sítios e monumentos históricos de Duque de Caxias e municípios circuvizinhos.


O Castelo (que nunca foi) da Marquesa de Santos - DIAS, Ondemar ; NETO, Jandira. O Castelo (que nunca foi) da Marquesa de Santos ou crônica de uma olaria que deu certo. Rio de Janeiro : Wak, 2011. 444 p.O tema do livro versa sobre a existência de uma magnífica construção que existiu até bem pouco tempo atrás e que a tradição popular (aceita inclusive por alguns historiadores) atribuía à Marquesa de Santos. Seria um Castelo mandado erguer pelo imperador D. Pedro I para a sua amada marquesa, nas proximidades de um extenso Pantanal do rio Sarapuí, onde poderia ficar isolada das intrigas da corte. Os autores, no entanto, após quinze anos de pesquisas nos arquivos e cartórios das cidades do Rio de Janeiro e Nova Iguaçu levantaram suficientes documentos para colocar aquela faustosa construção no seu contexto histórico verdadeiro. Concluíram que longe do romantismo que evocava, na verdade se tratava da sede de uma fazenda-olaria, das maiores que já existiram na região. A pesquisa resultou no acumulo de seguros dados cartoriais sobre a evolução da cultura e da economia da Baixada Fluminense, trecho, este que, até 1830, pertenceu à Cidade do Rio de Janeiro. O texto contém novas e instigantes perspectivas sobre aquele passado, enriquecido com crônicas que humanizam a literatura acadêmica, todas baseadas em retalhos de documentos históricos que preservaram aspectos do cotidiano daquela gente. 



O Coronel Elyseu e o seu tempo - Elyseu Adail de Alvarenga e Rogério Torres - 2009 - Editora Renascer - Biografia de Elyseu de Alvarenga Freire, professor, coronel da guarda nacional, alto funcionário do estado e importante chefe político na baixada fluminense durante a república velha. Filho de tradicional família resendense, estabelecida com fazenda de café, Elyseu pode sentir de perto os efeitos perversos da escravidão e da superestrutura política que representava: a monarquia. Assim contra elas lutou em sua juventude. Mas o obstinado desejo de justiça social guardado desde os tempos da mocidade, continuou alimentando a chama revolucionária que o levou, já maduro, ao cárcere nos rebeldes anos 20. Em suas páginas encontraremos nomes, fatos e coisas que remontam tempos medievos, atravessam o Atlântico e inscrevem-se na História do Brasil, em especial das três décadas do século que passou.
Dos Barões ao Extermínio: uma História da Violência da Baixada Fluminense - José Cláudio de Souza Alves - O texto é de uma impressionante riqueza historiográfica que nos permite conhecer com muita clareza o processo de formação social de nossa região. Além disso a contundente denúncia política que carrega não pode deixar de ser conhecida por aqueles que desejam examinar a fundo as raízes das injustiças e desmandos que nos assolam e que impedem a nossa população de gozar os frutos de seu trabalho duro e de suas potencialidades humanas.O padrão de violência existente na Baixada Fluminense será aqui analisado dentro do processo de formação histórica da região. Na compreensão deste fenômeno, expresso nos permanentes e elevados índices de homicídios e na atuação dos grupos de extermínio, a relação desta violência com o poder local torna-se central.(...) O resultado da morte de milhares de pessoas, na sua maioria não-identificadas e ignoradas pelo sistema de justiça criminal, corresponde, assim, à transformação destas mortes em credenciais políticas, reconhecidas pelos donos do poder local, pelos grupos políticos "supra-locais" e por ampla parcela da população. Exumar socialmente o processo de formação desta realidade é o que se pretende aqui.



Retratos da Baixada Fluminense - Alexandre Cardoso - A obra resgata a história e traça um panorama atual, além de desafios, para região nos próximos anos. O ponto alto do livro são as fotografias do passado e presente, que mostram a evolução da região, e promovem uma viagem pelo patrimônio da Baixada.

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Cansei, poesia

Recital de Poesia e Microrrelato em Vigo, realizado  no Galo Vento. Cansei, é uma das poesias que recitei no evento. A poesia está publicad...