terça-feira, 13 de setembro de 2011

Duque de Caxias ganhou hoje mais um CVT




alt
O governador Sérgio Cabral inaugurou, nesta segunda-feira, dia 12, pela manhã, o 31º Centro Vocacional Tecnológico do estado, que, pela primeira vez, irá funcionar em parceria entre as secretarias de Educação e Ciência e Tecnologia. 
Cabral visitou vários laboratórios e finalizou a visita com um bate-papo com o diretor do CVT Engenho Novo, André Luiz Sobral, através de vídeo-conferência em sala multimídia.  
“O índice de empregabilidade dos alunos que deixam o CVT é perto de 100%. Esta região de Duque de Caxias é fortemente industrializada, com muitas novas indústrias vindo para cá. Portanto, esta meninada que vai sair daqui terá muita opção de emprego . Por isso, esta experiência nova está sendo feita aqui, realmente revolucionária, de casar o CVT com uma unidade escolar formal. Estamos gerando sinergia entre o ensino profissionalizante e o formal. E, hoje, quanto mais especializada, mais a pessoa ganha condições de conseguir um emprego com melhor salário. Como o Rio de Janeiro está hoje com quase o dobro dos investimentos do segundo estado, estamos demandando mão de obra qualificada em todo o estado do Rio”, disse o governador.
Segundo o presidente da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec), Celso Pansera, o objetivo do convênio é retomar a idéia inicial dos Cieps de oferecer educação em tempo integral. O CVT de Santa Cruz da Serra, em Duque de Caxias, vai funcionar no terreno do Ciep 320 – Ercília Antônia da Silva.
alt
De acordo com Pansera, os melhores alunos do 1º ano do Ensino Médio serão selecionados para cursar o ensino técnico no CVT. A comunidade também terá acesso ao centro. Serão oferecidas 280 vagas para os alunos do Ciep e 280 para fora. Além disso, serão abertas 1.050 vagas para qualificação profissional, em cursos de formação inicial e continuada, tanto para alunos quanto para a comunidade, que serão selecionados por sorteio.
Segundo o secretário de Ciência e Tecnologia, Alexandre Cardoso, a ideia de instalar o CVT em um Ciep surgiu em uma reunião entre ele, o governador Sérgio Cabral, o secretário de Educação, Wilson Risolia, e o presidente da Faetec. O objetivo é melhorar a qualidade de ensino e elevar o estado no ranking do Enem para as cinco primeiras posições.
“O projeto piloto contempla quatro Cieps. Vamos avaliar os resultados daqui a um ano. Caso sejam positivos, vamos ampliar para mais dez ou quinze escolas”, informou Alexandre Cardoso.
Os próximos CVTs que serão inaugurados em convênio com a Secretaria de Educação, ainda este ano, serão em Saracuruna, voltado para o setor gás-químico; em Magé, na área de construção civil, já visando atender a demanda do Comperj; e, um terceiro, em São Gonçalo, também na área de construção civil.
alt
“Hoje, o aluno que termina o Ensino Médio não tem outra perspectiva a não ser cursar uma faculdade. Ao unir o curso tradicional ao profissionalizante, ele já irá sair com uma profissão, pronto para atuar no mercado de trabalho”, completou Cardoso.
Wilson Risolia explicou que a meta da Secretaria de Educação é oferecer o Ensino Médio em tempo integral para toda a rede, num prazo de cerca de onze anos. A ideia de uni-lo ao CVT é apenas uma das alternativas que a secretaria está experimentando para complementar o ensino tradicional.
“A integração com o ensino profissionalizante melhora a retenção dos alunos na escola por mais tempo e também reforça o contra-turno, que é uma das nossas metas. Por coincidência, tivemos hoje o resultado do Enem, que não nos coloca numa situação tão boa, demonstrando que precisamos integrar o ensino médio ao profissionalizante para que o aluno melhore seu desempenho e permaneça mais tempo na escola”, avaliou.
Neste CVT serão oferecidos cursos de automação industrial e informática, o segundo com essa especialidade da rede. O primeiro funciona em Marechal Hermes.
“Tanto este CVT, quanto o de Marechal Hermes, não têm parâmetro em termos de tecnologia no Brasil em ensino técnico. Existem algumas redes de ensino que têm até alguns desses laboratórios daqui, mas no conjunto não tem igual no Brasil. Temos, por exemplo, uma máquina de prototipagem em 3D em que o aluno aprende a fazer uma peça no computador”,  destacou Pansera.
Pansera ainda anunciou a abertura de mais cinco CVTs, estes fora do convênio com a Educação: São João da Barra, para área de logística e metodologia voltado para o complexo industial que se desenvolve em torno do Porto do Açu; Três Rios, voltado para a construção civil e com curso superior de informática; Macaé voltado para área de petróleo e gás; Silva Jardim e Nilópolis para área de serviços.

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Cansei, poesia

Recital de Poesia e Microrrelato em Vigo, realizado  no Galo Vento. Cansei, é uma das poesias que recitei no evento. A poesia está publicad...